terça-feira, 11 de agosto de 2009

O ESCUTISMO ESTÁ VIVO!!!

Pórtico do último Nacional
*
Foi num Conselho Nacional reunido extraordináriamente em 1980, em Ermesinde, que foi lançado um novo Sistema de Formação de Dirigentes, sendo Chefe Nacional do CNE o excelentíssimo Dirigente que foi o Chefe Velez da Costa, que estava com o mandato a terminar. Com a determinação que lhe era peculiar, ele e a sua equipa conseguiram levar o CNE para a revisão estatutária do Movimento, que terminou em 26 de Setembro de 1981, a que se seguiu a revisão geral do Regulamento do CNE, que veio a ser concluída nos primeiros dias de 1984, entrando em vigor a 1 de Março do mesmo ano. No ano seguinte , em 29 de Maio de 1982, uma representação dos Comités Mundial e Europeu deslocaram-se a Portugal, entregando ao CNE e à AEP, que recentemente haviam fundado e constituído a FEP - Federação Escutista de Portugal - , o competente diploma.
Assistiu-se também à realização do 16.° Acampamento Nacional em Setúbal, no ano de 1983, numa altura em que se davam os primeiros passos do acordo celebrado entre o CNE e o MSC - Movimento Scout Católico de Espanha -, após uma Cimeira Ibérica das duas associações. E tudo veio a ser merecedor duas prendas: a atribuíção da "Medalha de Bons Serviços Desportivos" e o reconhecimento do CNE - Escutismo Católico Português) como Instituição de Utilidade Pública, conforme Despacho de 20 de Julho de 1983 do Primeiro Ministro, publicado no Diário da República, II série, de 3 de Agosto de 1983 .
Os últimos quinze anos do CNE estão marcados por uma enorme expansão do Escutismo e um extraordinário aumento dos efectivos, em todo o continente e regiões autónomas.
Foram desenvolvidas novas áreas, como é exemplo a do ambiente, com a inauguração em 1988, do Centro Nacional de Formação Ambiental, em S. Jacinto - Aveiro, com toda a gama das mais diversas campanhas, onde se pode destacar a de "Um Milhão de Árvores". As campanhas como a do calendário escutista, a do seguro escuta, a da sede própria e outras, têm enriquecido o património do Corpo Nacional de Escutas. A nÍvel pedagógico deve dar-se especial realce para o aparecimento das metodologias educativas das quatro Secções, de livros, revistas, fichas e manuais.
Rover's, encontros e fóruns de caminheiros, expansão do Escutismo Marítimo, a forte sensibilização do Escutismo de integração, são pontos fortes na vida da associação.
Os últimos três Acampamentos Nacionais, como o de Bagunte em 1987, o do Palheirão em 1992, em que o governo atribuiu a Ordem de Mérito, como reconhecimento do CNE junto dos jovens Portugueses e o de Valado de Frades em 1997, constituíram pontos altos na vida da Associação e dos milhares e milhares de jovens participantes.
Como resultado destes eventos foi a presença maciça no Jamboree da Holanda em 1995 e do Moot na Suécia em 1996 que são bem o testemunho do grande desenvolvimento que ocorre a todos os níveis.
Seminários como o da Família em 1994 e o congresso "Valores e Missão" em 96/97, concretizam a forte maturidade e implantação do Escutismo Católico em toda a sociedade portuguesa.
A última palavra para a organização do CNE, com a publicação dos últimos estatutos, diversos regulamentos e regimentos e os mais diversos protocolos com destaque para os dos Países de Língua Oficial Portuguesa.
Mais recentes há muitas outras coisas para comemorar, como sendo o 1º. Centenário do primeiro acampamento Escutista na Ilha de Brownsea, em que Portugal esteve superiormente representado, mas também o Nacional em Idanha, a canonização de São Nuno de Santa Maria... etc...etc...etc.
O Escutismo em Portugal está vivo e recomenda-se!
Arraial...Arraial, por Santa Maria, São Jorge, São Nuno, São Paulo, São Francisco de Assis e Portugal!

Sem comentários: