quinta-feira, 21 de abril de 2011

São Jorge... e o Escutismo

Esta Semana Maior é cheia de acontecimentos, pois o calendário encarregou-se de juntar eventos, qual deles o mais relevante, não fosse estarem incluídos no mesmo calendário a Páscoa do Senhor, o Dia de S. Jorge - Padroeiro universal do Escutismo, e... as comemorações da Revolução do 25 de Abril, data de amor ou ódio para muitos Portugueses, consoante a abordagem que se faça do assunto.

Como o Escutismo não é partidário, estamos livres de dores de cabeça quanto às comemorações que esta data nos possa suscitar.

Quando estava no "activo", o que não dava para ter a dita de uma agenda que me pudesse dar ensejo de programar uma actividade de tal modo abrangente que pudesse tornar-se num acontecimento emblemático para os rapazes e raparigas que andavam na pista das aventuras suscitadas pela genialidade do Fundador, quando pensou no Escutismo como método capaz de tornar os jovens pessoas mais felizes.

No entanto, pelo que leio nos jornais, jovens há que vão para uma actividade numa das "ilhas" do Tejo e têm de pedir socorro às entidades responsáveis por esta actividade, para que os tirem de apuros... porque uma actividade não planeada de forma capaz pode deitar por terra todas as hipóteses de êxito que a mesma poderia suscitar.

Podem atribuir-se culpas a A, B ou C, mas não é a atribuição de culpas que apaga a frustração por uma actividade mal conseguida. Há a tendência do "rapaz" começar a colocar dúvidas na sua capacidade de realização das tarefas que lhe sejam pedidas... porque as falhas podem voltar a acontecer. Importante é haver uma preparação cuidada das actividades, com interiorização das directivas que vão estar subjacentes à mesma, a verificação dos materiais que são passíveis de ser usados, os transportes e alternativas aos mesmos, com os horários respectivos, as ementas escolhidas...

Mas é fundamental que cada um esteja ciente do papel que lhe cabe no êxito da actividade, não sendo de somenos importância o conhecimento que se tenha do local escolhido para a mesma, que pode ser (e deve ser) objecto de várias visitas para esse fim, com recolha de dados que suportem completamente as actividades que ali se pretendam realizar, inclusivé as inopinadas que sejam suscitadas por motivos vários.

Para que é tanta conversa, perguntarão. É simples: Porque a 23 temos o São Jorge, a tradição da sua comemoração torna-se uma coisa lógica... e sei que muito boa gente está a pensar ter um São Jorge em grande! Coisas que a minha anilha do lenço me vai segredando!

Depois... a Páscoa do Divino Chefe não é apenas a data das amendoas e do folar! Não! É uma tradição cristã muito entranhada na alma das nossas gentes... não sendo curial que deixemos de comemorar a Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo... apenas porque temos cá o FMI e o País está em crise. É que crise pede união... união pede fraternidade... fraternidade pede darem-se as mãos... darem-se as mãos pede generosidade... generosidade é apanágio do verdadeiro Escuteiro, que não se coibe de prometer fazer todo o possível, mas faz sempre o impossível por fazer o outro mais feliz!

Nas terras onde há "Compasso", visita Pascal ou algo que a substitua, dá a tua mão ao Sacerdote, pergunta ao teu Assistente o que necessita que faças. Mostra aos outros o porquê de uma Farda que deve dar-te muito orgulho vestir.

Já quanto ao 25 de Abril... se te pedem ajuda, porque não?

"O ESCUTA ORGULHA-SE DA SUA FÉ, E POR ELA ORIENTA TODA A SUA VIDA"; "O ESCUTA É FILHO DE PORTUGAL E BOM CIDADÃO"; "O DEVER DO ESCUTA COMEÇA EM CASA"! Nunca o poderemos esquecer, porque esta é a alma do Escutismo!

Do vosso amigo "Lobo Esfaimado" recebam votos de Boa Caça.

Sem comentários: